Comentários e opiniões sobre a actualidade nacional e internacional, económica e não só.

Terça-feira, 24 de Julho de 2007
Será que ouvi bem ?
O líder do PCP, Jerónimo de Sousa, queixou-se na TV :

"... da ideia peregrina de se despedir por incompetência ou inaptidão" ...

Mas ...

Não é a incompetência e inaptidão no posto de trabalho que levam à baixa produtividade ?

Não é a baixa produtividade que leva a baixos salários e a um país na cauda da Europa ?


Palavras para quê ?

É um Partido Comunista Português ...


publicado por HomoEconomicus às 20:53
link do post | comentar | favorito

Segunda-feira, 16 de Julho de 2007
Para que a culpa não morra solteira, ou seja só dos outros
Por vezes os nossos empresários fazem grandes eventos culpando o Estado práticamente por tudo o que de mau acontece no país em termos sócio-económicos.

Mas a culpa não é só do Estado óbviamente.

E os portugueses são dos trabalhadores mais produtivos do mundo quando não são influenciados por sindicatos dogmáticos e são liderados por gestores competentes.

Claro que existem em Portugal muitos gestores competentes, principalmente das gerações mais novas.

Mas ainda é mais claro que existem em Portugal gestores incompetentes, mesmo muito incompetentes.

Tal deve-se a uma mistura de falta de habilitações académicas, competência profissional limitada à "intuição" sem querer sequer procurarem melhorar com formação e "gestão", se é que se pode chamar gestão, limitada a sacar o máximo da "SUA" (eles muitas vezes são os patrões) chafarica para haver dinheiro para carros de topo de gama e vida de pato bravo.

É este tipo de "gestor" ou de "empresário" como gostam de chamar-se, que deve desaparecer do país ou ir de braço dado com certos "sindicalistas" pregar a sua sapiência para outra freguesia.

Quando ao que deu origem a este "discurso", basta ler ...


"Gestores portugueses entre os piores, diz estudo

Portugal está no grupo de países com piores gestores, diz o Diário Económico esta segunda-feira citando um estudo realizado pela Mckinsey junto de quatro mil empresas, nos EUA, Ásia e Europa.

As empresas nacionais ficam sempre nos últimos lugares das tabelas classificativas quando comparada a qualidade da gestão entre empresas multinacionais e empresas domésticas, Portugal é dos que apresenta uma maior divergência. Este estudo, adianta o jornal, «ajuda a justificar a fraca competitividade da economia nacional e as dificuldades de crescimento verificadas nos últimos anos».

As perspectivas de crescimento em torno dos 2,5% estão muito longe dos restantes parceiros comunitários, lembra Vítor Gonçalves, docente e vice-reitor do ISEG acrescentando que para dar o salto seria necessário “aumentar o nível de vendas das empresas nacionais no mercado externo” e isso só será possível, nomeadamente, com melhores níveis de gestão.

Mas as perspectivas não são animadoras de acordo com os dados avançados pelo estudo da Mckinsey, que permite concluir que Portugal está em antepenúltimo lugar em termos de qualidade de gestão das empresas nacionais (contra o quinto lugar nas multinacionais), quando comparado com o universo de países em estudo: EUA, Índia, Itália, Alemanha, Reino Unido, Suécia, Polónia, França e Grécia."
In Dinheiro Digital-16/7/07


publicado por HomoEconomicus às 18:41
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

mais sobre mim
pesquisar
 
Novembro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


posts recentes

Será que ouvi bem ?

Para que a culpa não morr...

arquivos

Novembro 2008

Setembro 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

tags

todas as tags

Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds