Comentários e opiniões sobre a actualidade nacional e internacional, económica e não só.

Quarta-feira, 27 de Fevereiro de 2008
Fica-se espantado
Por cá e por lá fica-se admirado com o que vai acontecendo no mundo.

Por cá
Os professores mostraram mais uma vez no Prós e Contras que são contra qualquer reforma do ensino embora com uma linguagem para tentar fazer dos portugueses estúpidos. Eles são :
. Contra a nova gestão das escolas que pura e simplesmente responsabilizará quem as dirige e naturalmente quem lá trabalha.
. Contra as avaliações com desculpas que vão desde a "complexidade" do processo (coitados, são incapazes para algo que seja muito complexo) à "incapacidade" de avaliarem colegas (mas que diriam se o Ministério da Educação mandatasse avaliações externas). Mas a pérola vem daquela "loura" que diz que os professores "são todos bons". Claro, nesse caso para quê avaliar, são 150 mil da fina nata.
. Contra as quotas para titular. Claro, não havendo quotas todos iam a titular e ao topo da carreira tornando inúteis as avaliações, como tem acontecido até agora. Estranhamente um professor que era contra os professores titulares era ... professor titular.
. Contra tudo isto temos o sindicato comunista a fazer a única coisa que sabe fazer, procurar em tribunal bloquear processos de avaliação.
. Mas a pérola viria das aulas de substituição, com o mesmo sindicalista a vangloriar-se que os portugueses iam pagar dos seus impostos as consequências dos professores se baldarem às aulas. E estes a esfregarem as mãos de contentes com o novo negócio do "agora faltas tu, agora falto eu".
. Dizem que os professores andam com ansiedade. Claro, acabou o ambiente de compinchas irresponsáveis e passou-se para um ambiente de se saber quem serão os bons e maus professores e concorrência pela competência como no restante mundo civilizado.

Por lá
Até o "irmão Castro" que sucedeu a Castro vem dizer que Cuba vai reformar de alto a baixo o Estado acabando com burocracias excessivas e óbviamente com empregos em excesso e gastos em excesso. O camarada Jerónimo deve ter tido um desmaio ao ouvir isto.


publicado por HomoEconomicus às 11:18
link do post | comentar | favorito
|

Domingo, 25 de Novembro de 2007
A semana que passou...
Interessante como sempre a semana que passou ... por cá e por lá.

Valorsul
Uma greve que todos pensavamos, "para melhoria dos 'desgraçados' dos trabalhadores". Entretanto a Valorsul faz um comunicado que estranhamente ninguém desmente e pouco depois a greve é "suspensa". E que diz o comunicado ?

Para quem não leu ...

- " A remuneração média anual global dos 78 trabalhadores da unidade que dá o suporte efectivo a esta greve - Central de Tratamento de Resíduos Sólidos (CTRSU) de S. João da Talha - é de 40.837 euros o que corresponde a um custo anual por colaborador para a empresa de 53.532 euros. A título de esclarecimento, este nível das remunerações da CTRSU só é suplantado por duas empresas do índice PSI 20."
('desgraçados' salvo seja...)

- "As remunerações do trabalho em horário suplementar atingem mais de 1,1 milhões de euros/ano - custos demasiadamente elevados e que tendem a agravar-se a médio e longo-prazo. Os referidos colaboradores da CTRSU, para além do seu salário regular, auferem em média cerca de mil euros em horas extraordinárias por mês, as quais na sua grande maioria são perfeitamente desnecessárias mas que, nas presentes condições não podem ser evitadas por força da rigidez do Acordo de Empresa e do horário laboral em vigor."
(ou seja, os habitantes das zonas envolvidas pagam mais para sustentar as benesses destes 'senhores')

- "... Aterro Sanitário de Mato da Cruz, instalação onde a paralisação, desde o primeiro dia, nunca abrangeu mais de 4 dos 24 trabalhadores.",".... A presença da GNR no local deve-se exclusivamente ao facto de elementos exteriores ao Aterro Sanitário terem procurado, através de cordões humanos e práticas insultuosas e intimidatórias, fechar os portões e impedir a passagem dos camiões de recolha do lixo e, assim, impedir que a esmagadora maioria dos trabalhadores daquela unidade possam exercer o seu direito ao trabalho."
(ou seja, os sindicatos contratam "grevistas profissionais" que nem são da empresa para aparecerem nas notícias e poderem desta forma atingirem o objectivo telecomandado partidáriamente ... arranjarem forma de atacar o Governo, que terá sempre que ser culpado por tudo e por nada...)

Percebem agora a falta de respeito que tenho por muito do nosso "sindicalismo" que não é mais que acções de rua do PCP ?

E não esquecer, os grevistas com horas extraordinárias atingem o ordenado de 4.000 euros por mês ...

Coitadinhos ...

Estranho como não se ouviu nenhuma reacção contrária a este comunicado. A um nível completamente diferente faz lembrar o silêncio da Síria ao bombardeamento de Israel às suas instalações militares há alguns meses atrás.

Mistérios...


Chavez
Segundo as últimas notícias as sondagens do referendo que Chavez vai fazer e que lhe permitirá autoperpetuar-se no poder, institucionalizar a censura e não só e a prazo passar todos os sectores económicos que achar conveniente do sector privado para o Estado (ou seja para ele próprio e a sua nomenclatura) ou seja, zimbabwear o país, começam a ser desfavoráveis ao potencial ditador conforme o nível de abstenção diminui. Parece que as pessoas preferem a sua liberdade a serem tele-comandadas por uma figura daquelas.


CDS-PP e os impostos
A bandeira recente para o CDS-PP se tentar diferenciar são os impostos. Mas isto agora de considerar as cobranças coercivas (desde que no respeito dos direitos dos contribuintes) num "assalto" aos mesmos começa a raiar o ridículo.

As cobranças coercivas devem existir e ser aceleradas no seu processamento para punir todos aqueles que ao fugirem aos impostos lesam o Estado e os próprios portugueses que pagam os seus impostos.

O mal é que para além das cobranças coercivas não exista pena de prisão efectiva para quem fugir aos impostos. Isso sim faria diminuir esse acto ilegal.

Ou seja, na sua vontade de crescer o CDS-PP apenas entra na demagogia e populismo que o fazem diminuir.


Ensino
A confirmar-seque os professores estão a ser pressionados para dar boas notas para os resultados do ensino "melhorarem", é um erro crasso do Governo.

Porque a não ser que se facilite também depois nos exames nacionais, o resultado vão ser "massacres" de notas;

Segundo e mais importante : Alunos incompetentes darão profissionais incompetentes afectando negativamente o país.


Estradas
Enquanto em Portugal se discute o que vão ser as Estradas de Portugal, se públicas ou privadas, se 70, 80 ou 90 anos é muito ou pouco tempo de concessão, nos EUA a Brisa consegue uma concessão das auto-estradas de Denver por 99 anos.

Ainda bem que os americanos não pensam como os portugueses. É que a Brisa até é privada e estrangeira para eles ... só que eles pensam apenas na qualidade de serviço aos cidadãos.

Por cá, a discussão gira em torno das Estradas de Portugal contarem ou não para o défice, problema que estaria resolvido se fosse uma entidade privada regulada pelo Estado.

Ou se poderá ser privatizada a prazo, coisa que a extrema-esquerda não quer dado que ideológicamente quer todos os sectores de actividade no Estado em vez de pensar na qualidade de serviço aos cidadãos. O objectivo ideológico é maximizar o pseudo-emprego de uns milhares ao arrepio da qualidade da oferta aos milhões de cidadãos, obrigando-os a pagar os falsos empregos desses milhares.

O que se tinha em países que experimentaram essa ideologia ? Todos "empregados" em sistemas produtivos que andavam entre a mediocridade e o muito mau e nível de vida da população medíocre.

Ou acham que o muro de Berlim foi feito para evitar que os alemães ocidentais invadissem o 'paraíso' comunista da Alemanha de Leste ? Foi feito para impedir e assassinar os que tentavam fugir do 'paraíso'.


Futebol
Muitos dos nossos intelectuais e outros curtos de vistas protestam veementemente contra qualquer elogio ao futebol e ainda mais ao Euro 2004.

Esquecem que no mundo actual a actividade futebolistica tem cada vez mais um peso económico elevado e arrasta muitos milhares de milhões de euros, e não só nas boas transferências que alguns países portugueses têm feito com o respectivo encaixe financeiro.

Indirectamente a organização de um Euro como foi o caso, ou a presença em fases finais das competições futebolisticas geram un contributo um importante para a riqueza nacional.

A visibilidade de Portugal através do Euro 2004, ou mesmo da Expo 98 com todos eventos que permitiu a Portugal organizar a seguir e que trouxeram benefícios económicos directos e indirectos para o país, eram impossíveis de atingir sem estes grandes eventos que teriam sempre custos. A visibilidade de Portugal com todo o impacto turistico e não só que tal permite seria incomportável (por campanhas publicitárias por exemplo) em termos financeiros para Portugal.

Mas isso os intelectualoides e os curtos de vista não atingem.

Um exemplo. Estudos recentes afirmam que a eliminação da Inglaterra do Euro 2008 terá um impacto negativo na economia inglesa de aproximadamente 3 mil milhões de euros.

Depois digam que são só uns futebois...


publicado por HomoEconomicus às 11:47
link do post | comentar | favorito
|

Domingo, 28 de Outubro de 2007
Sobre a Educação ... e o Referendo
A Educação últimamente é só mais pregos para o caixão. Basta ver o que se tem passado.


Faltas à aula
A medida recente do Governo/bancada socialista parece querer aumentar o facilitismo. Os alunos podem "baldar-se" com poucas ou nenhumas consequências. Tal também foi a medida de um governo de Cavaco com maus resultados. E depois parece existir uma "prova adicional" aos "baldas" que aparentemente poucas ou nenhumas consequências terá.

Um "regabofe".

Se as desigualdades em Portugal aumentam porque uns estudam e têm sucesso e outros "baldam-se"  e vêm por por aí abaixo, não é papel do Estado nem dos portugueses que trabalham ir ajudar os "coitadinhos" dos "baldas". Cada um assuma o seu destino com base no que trabalha (ou não) para ele.


O ensino da Matemática
Nuno Crato, presidente da Sociedade de Matemática e autor entre outros do livro "Eduquês" que desmascara a idiotice pseudo-pedagógica do nosso ensino, agora desmascara ao Expresso as novas "metodologias" do ensino da matemática que uns pedagogos idiotas e adeptos do facilitismo querem implementar.

Na prática as novas formas do ensino das "contas" aos jovens portugueses não são muito diferentes das utilizadas para ensinar primatas (chimpanzés por exemplo), golfinhos ou focas amestradas.

Será que os proponentes também pouco mais sabem de matemática que o que pretendem impor como "método de ensino" ?

Acredito que sim.


Avaliação dos professores
Finalmente sairam as regras de avaliação de profs. Curioso ver uma tal "Associação Nacional de Professores" vir considerar de subjectiva a nova forma de avaliação mas por outro lado considerar haver falta de mais componente qualitativa nessa avaliação.

Como se a componente qualitativa fosse muito ... objectiva.

Bastava juntar-se avaliação qualitativa à inexistência de  quotas de  subida na carreira para se voltar  à "mama" de antigamente. TODOS subiriam na carreira e os portugas que pagassem com os seus impostos.

E os resultados continuariam a ser a desgraça que são actualmente sem ninguém ser responsável, claro.



E agora sobre a Europa ...

Referendo ao Tratado de Lisboa
No Expresso de sábado veio uma das melhores sugestões sobre o fazer ou não fazer o referendo ao Tratado de Lisboa.

O referendo não será mais que uma forma para comunistas, trotskistas e nacional-socialistas mais alguma esquerda folclórica e políticos que sobrevivem apenas por serem "irreverentes", terem tempo de antena para falarem de tudo menos do próprio Tratado, como acontece sempre.

A lenga-lenga iria toda ser em torno das "políticas do Governo" e pouco mais. Ou seja, a aldrabice do costume.

Está na altura de todos assumirem o que defendem.

A questão não deve ser sobre o Tratado. Deve ser pura e simplesmente :

"Deve Portugal sair da UE" ?

Porque no fundo era isso que comunistas e nacional-socialistas fariam caso alguma vez mandassem no país. Sair da UE para impor a ditadura de sua preferência.

Porque por muito que a maioria dos 200 mil na última manifestação de "trabalhadores" seja ingénua ou ignorante, quem tem dois dedos de testa sabe que se Jerónimo Sousa fosse 1º Ministro nunca haveria uma manifestação contra o Governo.  Não  porque o Governo fosse excelente, mas porque a polícia política o seria. Exemplos não faltam nos "paraísos" e ex-"paraísos" comunistas.

Por isso assuma-se e referende-se se Portugal deve sair da UE. E se vencer o "Portugal deve sair da UE", saimos. E os que o defendem a saída da UE que sejam responsabilizados até ao limite (e cada um defina o limite) pelas consequências dessa decisão, dessa irresponsabilidade.

Que os portugueses que não querem ditaduras nem "iluminados" que os  "dirijam", não querem.


publicado por HomoEconomicus às 11:28
link do post | comentar | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Novembro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


posts recentes

Fica-se espantado

A semana que passou...

Sobre a Educação ... e o ...

arquivos

Novembro 2008

Setembro 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

tags

todas as tags

Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds