Comentários e opiniões sobre a actualidade nacional e internacional, económica e não só.
Quinta-feira, 8 de Novembro de 2007
Palhaçadas
Os sindicatos da função pública decidiram fazer uma greve porque a função pública vai receber o aumento possível tendo em conta o défice de Estado. Aumentos salariais maiores (o sindicato comunista entra no delírio populista dos 5,8%) destruiriam os sacríficios de milhões de portugueses influenciando negativamente o défice e também causariam pressões inflacionistas óbvias que os anulariam.

Mas isso os sindicatos parece que não compreendem. Ou melhor, compreendem mas a filosofia é a costumeira do tentar sacar o máximo e os restantes milhões de portugueses que fiquem com menos dinheiro nas carteiras para pagarem o despesismo da função pública.

Mas não é isto que se pode considerar palhaçadas.

Palhaçada é a data escolhida para a greve, dia 30 de Novembro, por "coincidência" uma sexta-feira, como têm sido marcadas greves para segundas ou dias úteis entre feriados ou entre feriados e fins-de-semana.

Parece que os sindicatos no fundo receiam pela adesão "do povo em luta" ... e um fim-de-semana prolongado torna essa adesão mais provável, não para a "luta" mas para o descanso antecipado claro.

Esperemos que os portugueses que não são parvos, mesmo aqueles que irão fazer greve, se apercebam da honestidade política dos sindicatos, ou falta dela.

E sobre o tema o editorial do DN é elucidativo :

"... Propor aumentos inferiores à inflação esperada negaria os ganhos estruturais já alcançados em 2006 e 2007. Seria um contra-senso. Não ir além da inflação esperada (mesmo tendo já uma pequena margem para subir umas três décimas...) significa que se pretende atingir os 0,4% de défice público (fixado para todos os membros do euro), a marchas forçadas. Se possível, antes de 2010.

O desequilíbrio público em 2007 será apurado em Fevereiro ou Março próximos. Ficará, seguramente, abaixo dos 3%, talvez mesmo próximo do objectivo para 2008, 2,4%. O sinal de poupança nas despesas com o pessoal em 2008 prende-se com a exigência de Teixeira dos Santos de que se registem ganhos importantes de produtividade no aparelho de Estado, antes de remunerar com ganhos reais aqueles que os proporcionam. E, se o caminho percorrido até ao fim de 2008 o permitir, sem comprometer o cortar da meta a tempo, até pode haver algum alívio fiscal em 2009 ou em 2010..."
in DN - 081107






publicado por HomoEconomicus às 19:11
link do post | comentar | favorito
|

mais sobre mim
pesquisar
 
Novembro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


posts recentes

A bofetada de luva branca...

Por cá e por lá depois da...

A verdade dos factos

Facilitismos

O Tratado de Lisboa. O Te...

Racismos, xenofobias e ou...

Os combustíveis e a demag...

O Estado da Economia

Por cá e por lá, felizmen...

Justiça Desportiva

arquivos

Novembro 2008

Setembro 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

tags

todas as tags

Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds