Comentários e opiniões sobre a actualidade nacional e internacional, económica e não só.
Segunda-feira, 1 de Outubro de 2007
Acção da PSP, e inacção da PSP
Acção

Acção da PSP é necessária, com a firmeza e número que leve os gangues a pensarem 2 vezes antes de cometerem delinquência idiota e infantil, antes que se agravem os resultados.

Gang espalhou o pânico na Linha de Sintra

«Mais de 30 vândalos» invadiram domingo, por volta das 7:10 da manhã, o comboio da Linha de Sintra, informou ao
PortugalDiário fonte policial. Os arruaceiros foram apanhados sem bilhete e apedrejaram carruagens enquanto fugiam. O revisor de serviço foi ameaçado com uma faca, que lhe foi apontada ao peito, e o pânico instalou-se na estação da Amadora, adianta o Correio da Manhã (CM).

O primeiro comboio parte de Lisboa às 6:00, e neste domingo levava um grupo da zona de Rio de Mouro, escreve o CM. «Passaram a viagem a cantar e a provocar distúrbios, incomodando toda a gente», confirmou fonte policial.

Quando o comboio parou na estação da Amadora e entrou um grupo de revisores, era vê-los a «tentar sair à pressa, com insultos e empurrões pelo meio. E os dois agentes da PSP presentes na carruagem foram impotentes para suster a força de 30 homens em fuga», referiu a mesma fonte. 

in PortugalDiario

Inacção

Os sindicalistas da PSP procuraram  manifestar-se durante uma reunião da UE de forma a colocar a imagem de Portugal em causa, típico de sindicalismo com agenda política por detrás.

E a montanha pariu um rato. Muitos menos manifestantes que o esperado e apenas a "acordarem" quando viram as TVs ligarem as câmaras nos noticiários das 20 h.

Uma figura linda, que demonstra o estado do sindicalismo em Portugal e que mesmo os agentes já perceberam que não há dinheiro para tudo.


publicado por HomoEconomicus às 20:15
link do post | comentar | favorito
|

3 comentários:
De Anónimo a 2 de Outubro de 2007 às 11:22
"Acção da PSP é necessária, com a firmeza e número que leve os gangues a pensarem 2 vezes antes de cometerem delinquência idiota e infantil, antes que se agravem os resultados."

Provalmente alguma vez lhe passou pela cabeça, pensar um pouco menos na repressão... e pensar nas causas da criminalidade?

Obviamente que não... e digo eu, porquê? Porque sabe tão bem como eu, que com o sistema liberal que defende, existirá sempre criminalidade, e pior que tudo... com tendência a ficar mais agressida e desumana!

Com um governo PS a pegar na cartilha liberal e a aplicar tim-por-tim os seus dogmas, ou espera, os dogmas dos homos economicus, não é muito dificil de perceber, porque razão se têm de "limpar" as prisões de presos preventivos... a menos que se faça como no céu (EUA) em que se constroem prisões, como em Portugal se aumentam os impostos ou plantam eucaliptos.

Obviamente que para o homo-economicus assusta estar a dizer o inegável, que o governo PS, está a seguir os seus conselhos... fechar escolas, maternidades, urgências, baixar reformas, retirar direitos dos trabalhadores... tudo em nome do desenvolvimento... das pessoas ? Não que ideia! ... dos homo economicus!

A palavra classe está suprimida dos dicionários... fiquemos pelo povo e pelos economicus!

Resposta simples : homo economicus... serviços de saúde privados, escolas para os filhos privadas, reformas (nem comento), maternidades privadas... e o povo português onde fica... no lixo?

Depois a criminalidade aumenta! Será que não existirem condições para uma educação de qualidade terá alguma coisa a ver com isto? Será que marginalizar quem não têm condições para um vida digna em vez de apoiar terá alguma coisa a ver com isso? Será que marginalizar quem cai no problema da toxicodepedência dará bons resultados? Será que os ordenados de miséria (que nem para uma renda de uma casa servem muitas vezes) terá alguma coisa a ver com isto? Será que a taxa de emprego terá alguma coisa a ver com tudo isto?

Será que ao mesmo tempo que isto tudo acontece os homo economicus vêm os seus salários de "gestores" a aumentar... as empresas a apresentar lucros, a banca a apresentar lucro, e o salários a crescer abaixo ou ao nível da inflacção, e os impostos a cairem sobre o ... povo?

Será que tem alguma coisa a ver com tudo isto?

Resposta : Claro que não, não dei isso na catequese liberal! É preciso é mais polícia, mais equipamento, mais brutalidade, não estar a pensar em resolver os problemas da sociedade!

Será que não percebem que o que vos separa da extrema-direita é apenas uma coisa? A extrema direita é sincera quando diz que é movida pelo desprezo pelo ser humano diferente das suas características... vocês nem isso são... sinceros.

ocaminhodaesquerda.blogspot.com


De HomoEconomicus a 2 de Outubro de 2007 às 19:01
Deixe-se de tretas camarada. Primeiro porque na verdade nos regimes de extrema-esquerda, desaparecidos e actuais, acções destas eram Gulag no mínimo ou fuzilamento independentemente das "condições sociais".

Claro que as "condições sociais" devem ser melhoradas principalmente ensinando a pescar e não dando peixe, mas alguém acredita que é por "condições sociais" que se apedrejam comboios ou ameaçam revisores ? Se me falasse de assaltos a bancos ou supermercados, por fome, por muito condenável que tais crimes fossem igualmente a sua conversa parecia melhor.

Depois vem a propaganda do"liberal" e conversa de chacha do costume. O regime "liberal" tem as costas largas. Mas na verdade, se todos viverem na mediania ou miséria policiados por um regime repressivo entre polícia militarizada e polícia política, a criminalidade deve ser menor ... Tanto nas ditaduras da extrema-esquerda como da extrema-direita, as duas faces da mesma moeda, tal acontecia.

Quanto às prisões preventivas, talvez seja também para evitar que um dia o prendam e mais tarde peçam desculpa porque não foi você que assaltou o banco ... embora que claro afectará sempre mais alguns que deveriam lá estar nesta fase. Mas para quem gosta de regimes estilo KGB Stasi e similares compreendo que a prisão preventiva até é uma grande salvaguarda.

Quanto à lenga-lenga do ...

"fechar escolas, maternidades, urgências, baixar reformas, retirar direitos dos trabalhadores... tudo em nome do desenvolvimento... das pessoas"

Exacto. Escolas com poucos alunos e mal equipadas apenas para empregar artificialmente professores, maternidades cujo número de partos anual coloca segundo a Organização Mundial de Saúde mãe e crianças em perigo apenas pela demagogia de "está perto de si e empregamos artificialmente mais uns", urgências em cada esquina que no fundo não eram mais que atendimentos permanentes sem equipamentos nem profissionais de urgências dado que, como ignora, nenhum país tem urgências em cada porta, nem Cuba como a TV nos mostrou.

Baixar reformas ... ? Sabe aritmética básica ? Sabe calcular quanto desconta por ano para a Segurança Social e se tal dá para depois ter a pensão, que era baseada nos anos recentes de mais rendimentos, durante 20 ou 30 anos que a esperança de vida actual permite ? Faça as contas, pense um pouco, e veja se dá.

A não ser que os descontos para a SS aumentem claro. Simples aritmética ... só os "liberais" a conhecem ?

Tudo em nome do desenvolvimento das pessoas, em nome da sustentabilidade do regime, em nome de melhores condições de serviços mesmo que não estejam todos junto à porta.

Ou acha que isto é só aumentar despesa e o resto que se lixe ? Quem a paga ? Aumentam os impostos ? Espreme-se os "capitalistas" que criam "desigualdades", mesmo que permitam uma colecta de impostos para que os piores melhorem se os apoios do Estado forem APENAS para os piores e não para quase todos à mama ?

Depois é o pavor idiota ao "privado" apenas para se manter uma função pública "igualitária" e numerosa como forma de acção política contra os governos, nada mais.

Em Espanha a ADSE lá do sítio foi substituida por equivalente privatizado estilo regime de seguros. Os espanhóis estão felicissimos pela qualidade do serviço. Os comunistas dogmáticamente contra.

Porque não fazer o mesmo com a nossa ADSE ? Mesmo que o serviço seja mais eficiente com os mesmos custos os esquerdistas dirão dogmáticamente "não".

Porque não tirar muitos encargos do Estado levando a que os portugueses possam escolher melhor serviço pelos mesmos custos ou pouco mais ?

Deixem-nos optar. Porque não ?

O Estado depois cobrará impostos aos "privados" e tendo menos despesa ineficiente permitirá ter mais recursos para ajudar os mais pobres a sério e não com "mezinhas".

O mesmo com a Educação. Para quê subsidiar com os impostos de TODOS os portugueses o ensino superior ao qual chegam os de famílias de maiores recursos que poderiam pagar mais que 800-900 euros ano ?

Coloquem os valores reais de propinas, permitam que os alunos de classe média tenham acesso a financiamentos e com a descida de despesa e subida de receita ofereçam verdadeiras bolsas, elevadas, aos mais necessitados que se esforcem em vez de bolsas de miséria.

Quanto às reformas, mais uma vez faça as contas... aritmética...


De HomoEconomicus a 2 de Outubro de 2007 às 19:38
Continuando ...

Repito, comparar algum tipo de criminalidade, principalmente a que eu referi, com "coitadinhos não têm condições" é no mínimo ingénuo ... Vá falar a maioria deles, se faltam à escola por falta de condições ou ... porque querem faltar, ponto final.

Por isso, deixe-se de demagogias e populismo.

Claro que deve haver educação de qualidade, em que professores e alunos sejam avaliados porque dizer que são todos iguais é mentira e todos sabemos isso.
Para que não sucedam os resultados de desgraça que tem sido nas últimas décadas devido ao "eduquês" dos coitadinhos.

E apoie-se a sério os que não vão à escola APENAS porque não podem. Não os que não vão porque é mais "engraçado" andar na pequena criminalidade, mas que se devem divertir com o discurso dos "coitadinhos" com que os desculpabilizam.

Os toxicodependentes não devem ser marginalizados claro. Deve-lhes ser dada oportunidade para mudarem e refazerem a sua vida. Se rejeitam a oportunidade, e há muitos que rejeitam sem ser por falta de "condições sociais", problema deles. Se a opção tomada livremente tiver efeitos negativos sobre a sociedade (assaltar para drogas por exemplo), claro que a sociedade deve actuar.

E nos regimes ditatoriais de esquerda e direita existentes nem essa oportunidade é concedida, como todos sabemos.

Quanto aos "ordenados de miséria" tal deve-se a habilitações académicas de miséria, produtividade de quase miséria, uma classe mais antiga de empresários/gestores de miséria, etc., nada que mude com varinha mágica.

Mas para si como se fazia ? Para ganhar eleições agora aumentam-se todos .... 30% chega-lhe, 40% ? Quanto quer ?

Já agora, qual o impacto na economia dessa acção ? Sabe ?

Espanha que agora todos elogiam teve anos com 20% de desemprego sem aumento notório de criminalidade e os resultados actuais que se vêem. Os ajustamentos têm custos, deve tentar-se minorá-los mas é impossível impedi-los.

Finalmente se nos salários dos gestores existem exageros que devem ser colmatados pelas estruturas accionistas, não se esqueça que são os lucros que permitem maior colecta de impostos a qual permite mais apoios sociais, infraestruturas, etc., etc., etc.

Prefere as antigas empresas públicas e bancos nacionalizados, cada um mais ineficiente em termos de serviços oferecidos e a sugar recursos do Estado para manter resmas de trabalhadores muito "colectivizados e iguaizinhos" ?

Ou acha que depois é por a funcionar a máquina a fabricar notas para pagar tudo ?

E sabe porque existe precariedade e desemprego ?

Porque num sistema em que desempregar é muito difícil (até é mais fácil despedimento colectivo (!)), primeiro ninguem coloca trabalhadores "à vontade" porque se a actividade cair complica tudo. Segundo, pela mesma razão entra-se no flagelo dos recibos verdes, única forma de flexibilizar o despedimento.

Sim, despedimento. Porque nem todos os trabalhadores trabalham como sabemos, os "igualitarismos" são treta. E a empresa pode mesmo por razões de actividade ou falta dela ter que despedir apenas alguns e não todos.

A lei deve facilitar o despedimento desde que por razões de actividade e por outro lado ser fiscalizada para impedir abusos.

Como está, defende dogmas e prejudica trabalhadores. como está provado.

Sim, somos todos homoeconomicus, todos. De esquerda, direita, acima, abaixo. Em qualquer regime. É chato mas é a vida.

Quanto à conversa sobre a extrema-direita olhe camarada, os regimes com tudo o que fala, polícia, repressão, etc. são os de extrema-esquerda e extrema-direita, as duas faces da mesma moeda. A prisão por delito é nesses regimes. E tenho a certeza que se você fosse vivo na altura, aplaudiria o acordo entre Hitler e Estaline como todos os comunistas e nacionais-socialistas da altura o fizeram. Porque os regimes são similares. Você só chora nunca ter havido uma ditadura comunista em Portugal. E se existisse nem estariamos aqui, porque nada disto seria possível.






Comentar post

mais sobre mim
pesquisar
 
Novembro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


posts recentes

A bofetada de luva branca...

Por cá e por lá depois da...

A verdade dos factos

Facilitismos

O Tratado de Lisboa. O Te...

Racismos, xenofobias e ou...

Os combustíveis e a demag...

O Estado da Economia

Por cá e por lá, felizmen...

Justiça Desportiva

arquivos

Novembro 2008

Setembro 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

tags

todas as tags

Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds