Comentários e opiniões sobre a actualidade nacional e internacional, económica e não só.
Quarta-feira, 18 de Julho de 2007
Congonhas (S. Paulo) e Portela (Lisboa)
O que aconteceu em S. Paulo é infelizmente um aviso àqueles que pretendem manter Portela a todo o custo, com maior frequência de voos e todos riscos associados.

Claro que Congonhas está mais rodeado de construção do que Lisboa.

Mas todos  conhecem o trajecto de muitas aterragens, sobre zonas do Hospital Santa Maria, Campo Grande, Av. Roma, Av. Brasil ou Gago Coutinho, sobre a 2ª circular.

Se existirem dificuldades ... basta ler um artigo do Expresso há anos sobre a simulação da queda de um avião entre o Campo Grande e o Aeroporto.

Faz o incêndio do Chiado parecer fogueira de meninos. N vezes maior que o Chiado com centenas ou milhares de mortos, destruição física brutal daquela zona, rotura de canalizações de gás a levarem a incêndios e explosões, etc., etc.

E o levantar dos aviões não é muito diferente como se sabe.

Esperemos que nunca venha a acontecer nada em Lisboa, não quero provar o erro dos defensores da "Portela + 1".

Mas se infelizmente acontecer, pelo menos que as vítimas no avião e em terra fossem constituidas apenas pelos defensores do Portela + 1, para irónicamente verem demonstrado o seu erro.

Mas isso infelizmente também não sucederá...


Fonte : GoogleEarth

Estranha-se também que exista quem considere Lisboa uma cidade falhada. Que basta não ter o aeroporto no seu interior para deixar de ter visitantes, incluindo os chamados "short-breaks".

Que quem quer visitar Lisboa (ou qualquer outra cidade nacional ou europeia), terá tanto interesse em fazê-lo que se o aeroporto ficar a mais 20 minutos, 30 minutos de distância do centro deixa de o fazer.

Argumentos de quem não tem outros argumentos, nada mais.

Não esquecendo que do aeroporto à Baixa pode demorar-se mais tempo que de comboio entre a Ota ou Alcochete até S. Apolónia ou mesmo Rossio.


publicado por HomoEconomicus às 11:35
link do post | comentar | favorito
|

5 comentários:
De SangueOculto a 22 de Julho de 2007 às 12:05
Este post não deixa de ser interessante
Se formos a pensar na questão de segurança, o aeroporto de Lisboa não devia ter lugar na Portela, mas sim noutra zona, mais alargada e longe do centro. Por muito que a Portela seja realmente segura, tenha planos de segurança estruturados e funcionais, um acidente semelhante ao que aconteceu em S. Paulo é passível de acontecer da mesma forma aqui. E no perímetro do aeroporto um avião que tenha uma decolagem arriscada pode ter como alvos tão preferenciais como perigosos (estação de serviço da Repsol, a Segunda Circular) se fizer rigorosamente o mesmo movimento aéreo do avião da TAM.
Se formos por questões turísticas e fácil acesso a Portela está bem posicionada estratégicamente. Mas, assim, ignoramos a questão segurança que referi anteriormente. Se o projecto OTA (ou outro semelhante) for para a frente, só resulta (no plano mais seguro possível) se no redor do futuro aeroporto de pelo menos 5 a 7 km, o Estado ou a autarquia local proíbisse a construção de qualquer tipo de construções.
Se assim não for, deixemos nos ficar apenas com a Portela (e esperar que nada aconteça). É que, quando se falava muito na OTA, já havia em curso determinadas especulações imobiliárias.

Muito importante e sério:Não se pode comparar Portela com Congonhas. Só têm em comum estarem no centro na cidade e têm uma via rápida ao lado do aeroporto. Em questões de planos de segurança, Portela tem pistas de escapatória em casos de aterragens mal sucedidas (o que faltou a Congonhas), o "groving" em dias de chuva (o que faltou a congonhas) e é um aeroporto com condições a nível internacional


De HomoEconomicus a 22 de Julho de 2007 às 20:41
Inteiramente de acordo.

Para evitar um "cerco" urbanístico ao aeroporto com todos os riscos associados, talvez Alcochete seja mais apropriado. Não sei qual a "construção" já prevista ou comprometida em torno da Ota.


De HomoEconomicus a 24 de Julho de 2007 às 20:15
Concordo plenamente.

A minha comparação não era sobre a pista em si mas pelos obstaculos de percurso por exemplo nos corredores de aterragem caso haja um azar, um problema que leve a queda repentina de altitude do avião.



De SangueOculto a 24 de Julho de 2007 às 01:27
Havia já uns certo rumores (poderia ser só isso mesmo, rumores, mas como se costuma dizer: "Aonde há fumo, há fogo!" ) de uma certa especulação imobiliária (provavelmente uns quantos empresários do ramo da contrucção civil) com fortes interesses em construir na OTA.
Alcochete é bem pensado (a melhor opção até), mas se o interesse que referi no parágrafo anterior surgiu na OTA, também haverá, se for em Alcochete. É importante a autarquia local, seja aonde for, não permitir a "construção-de-qualquer-coisa-que-seja" e comunicar essa decisão nos telejornais, já para não haver ansiedades. Senão, é pior a emenda que o soneto!!!!


De HomoEconomicus a 24 de Julho de 2007 às 20:16
Esperemos que a lei e planeamento se cumpram e não se fique com novas "Portelas", densamente urbanizadas em redor com todos os riscos associados.


Comentar post

mais sobre mim
pesquisar
 
Novembro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


posts recentes

A bofetada de luva branca...

Por cá e por lá depois da...

A verdade dos factos

Facilitismos

O Tratado de Lisboa. O Te...

Racismos, xenofobias e ou...

Os combustíveis e a demag...

O Estado da Economia

Por cá e por lá, felizmen...

Justiça Desportiva

arquivos

Novembro 2008

Setembro 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

tags

todas as tags

Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds